A razão

Posted on 24/06/2011

0


O meu avô paterno, um médico bon vivant  de Jerez de la Frontera, cidade perto de Sevilla, lugar de belas e extraordinarias pingas, também chamada Jerez, ideal para se tomar a qualquer hora, falava um portugues razoável. Assim achava ele. Em uma discussão com um certo boçal que insistia em um questionamento logico onde  a logica estava ausente, ele disse:
– Buçe tein ração. Mas tein pouca ração. E a pouca ração ki tein nao lhe serve de nada.
 
Passeando em Paris com a minha avó, Gaucha braba da fronteira, la pela década de 30, viu em uma loja um cartaz que anunciava: SE FALA PORTUGUES. Contente e intrigado, entrou na loja e perguntou:
– Quem fala portuques aqui?
Do fundo da loja saiu um imberbe rapazola
– Kui kúeres, rápasss?
Imagino que ele quiz dizer O que queres rapaz?
Anúncios