Os Santos da Igreja

Posted on 18/07/2011

0


Os santos são oficializados pela Igreja quando é comprovado que perpetraram algum milagre em vida. Claro que em vida. Em morto não adianta porra nenhuma além de ser uma total impossibilidade física. Talvez o milagre seja esse, sei la.

Mas o que eu quero entender é o seguinte: o santo foi santo ou é santo?

Que ele foi Santo pode ser comprovado, claro que de uma forma subjetiva. Basta pesquisar o que ele fez quando era vivo e estabelecer se um determinado ato de sua vida subverteu alguma lei da natureza. Ajuda se ele era católico. Se não, as suas chance são menos que zero. Antigamente os religiosos eram bons candidatos, mas quando se descobriu que certos padres não entendiam bem o conceito do celibato e faziam o que os comunistas sempre fizeram, comiam criancinhas, tiverem que procurar alhures.

Agora o que eu não entendo é porque alguém é Santo da Igreja. No tempo presente. È uma liberalidade da linguagem ou é uma espécie de título de nobreza dada a uma determinada alma?

Ou seja, se institui a diferença entre almas? La encima não seremos todos iguais? Não sei, não tenho lido os últimos release do Theilhard de Chardin mas me parece que a promessa explicita do catolicismo é que no final da vida, quer dizer, no final da existência deste corpo, seremos todos partícipes da Divina Comédia. A questão é saber em qual dos episódios vamos participar, se no Inferno, no Purgatório ou no Paraíso. Mas vamos ser otimistas e acreditar que o inferno e o purgatório já estejam com excesso de contingente e iremos todos pro paraíso.

Em la chegando eu vou ter que obedecer os Santos? É isso? Eu vou ter que morar em uma nuvem mixuruca cheia de furos e não vou poder frequentar aquela bela cumulus nimbus gigante?

Eu quero saber o que me espera depois que este corpo parar de funcionar. Eu vou continuar no sistema capitalista onde existe um patrão e vários súditos mais ou menos escravos ou vou ser igual a todo mundo que nem um comunista puro? Eu acho que é por isso que existem os santos. Tem que haver uma hierarquia celestial se não vamos ser todos iguais e isso a Igreja católica não permite. Pensar que eu vou poder tomar um chope e bater no ombro de uma belo cardeal todo paramentado com aqueles bizarros chapéus enormes e aquelas vestimentas bordadas a ouro? Nem pensar. Pensando bem, nem quero. O papo desses caras deve fazer lagartixa mudar de parede.

 

Mas vou ter que imaginar o que acontece com este corpo depois de tê-lo exaurido. Ele não é grande coisa mas tenho um grande carinho por ele e não sei se me adaptaria a vida vaporosa das almas. Eu preciso de contato físico. Esse negócio de amor platônico não funciona comigo. Mas sei la, pode ser que eu encontre alguma outra forma vaporosa insinuante cheia de curvas e criarmos alguma descarga elétrica que certamente ira assustar algum corpo boçal que ainda anda por este planeta.

Quem há de saber.

 

E já que eu vou ser eterno, pelo menos a minha alma será, vou encontrar o Utnapishtim o único sujeito eterno que tenho noticia aqui na terra, pra pegar algumas dicas.

O outro dia ele passou por mim.

Tava fedendo.

Anúncios
Posted in: MISTERIOS