Da série que merda é essa parte 2: a Praia

Posted on 29/08/2011

0


Segundo um interessante estudo sobre a formação das praias e o porque de sua existência, “The World’s Beaches: A Global Guide to the Science of the Shoreline,” com o aquecimento global no final da década, elas vão desaparecer. Ou elas vão se deslocar terra adentro com a elevação do nível dos oceanos. Ou seja Copacabana vai se mudar pra Irajá e Ipanema pra Del Castilho.

 

A Zona norte vai se tornar a zona sul e a zona norte vai ser em São Paulo aquela estranha cidade ao sul do Rio. São Paulo também vai ter praia, no Ibirapuera mas os paulistas vão continuar indo pra praias longínquas nos fins de semana. Força do habito.

Em compensação a faixa de areia do Saara vai diminuir e o calçadão vai ficar mais perto.

O Chile vai desaparecer e ninguém vai sentir a menor falta.

Além dessas mudanças geográficas haverá mudanças de datas. A praia não será mais aos sábados e domingos. Será na segunda o que dará uma utilidade ao dia mais chato da semana.

A Argentina vai desaparecer o que causará uma invasão gigantesca da bosta do mar. Perdão, estava pensando em outra coisa.

 

O Japão e Taiwan também irão desaparecer e a consequência imediata desta tragédia é que passaremos a ter todos os produtos na sua versão original, já que as cópias irão desaparecer.

A parte sul da Itália estará embaixo d’água, um velho sonho dos nortistas mas ai eles não vão ter mais ninguém pra botar a culpa das bostas que acontecem.

A Califórnia também vai desaparecer e a consequência vai ser que todos os peixes dos oceanos vão ficar doidões com a quantidade de drogas que entrarão no sistema dos oceanos.

Mas depois dos cataclismos tudo vai se ajeitar e a vida segue.

Os amantes das praias vagarão pelo mundo em busca de novas praias e os escandinavos vão continuar onde sempre estiveram. Eles nem sabem o que quer dizer praia.

Anúncios