Somos todos iguais ou somos diferentes?

Posted on 13/11/2011

0


 

A quimera da mitologia grega eram seres com diferentes partes do corpo de diversos animais. A mais famosa dessas quimeras é a Esfinge Egípcia com corpo de leão, cara de mulher e asas de pássaro, um verdadeiro carnaval na zona. Essa famosa estátua tem a misteriosa frase de decifra-me ou te devoro o que na verdade era de um monstro quimérico na estória de Édipo e que virou peça de teatro pela hábeis mãos e mente do Sófocles e virou exemplo de complexo na alma do Freud. Mas o complexo nada tinha a ver com o monstro da pergunta. Era um caso de amor entre filho e mãe com direito a sexo e tudo, uma grande fofoca da época.

O que as quimeras representam são uma espécie de idealização do ser humano. Procuramos sempre modificar a nossa original estrutura física de diversas maneiras e nunca estamos contentes com a nossa estampa, com a nossa individualidade. E no processo tentamos modificar o outro a nossa semelhança emprestando valores e éticas como se fosse isso possível. Dizemos aos quatro ventos que somos todos diferentes mas quando nos relacionamos não aceitamos muito bem essa diferença.

Todos dizem, os cientistas, os sábios, a moderna ciência forense e qualquer um que saiba mais do que eu, o que da em números aproximados uns sete bilhões de pessoas mais ou menos, que todo ser humano é único na sua espécie, no seu ADN, na sua individualidade. Somos um conjunto de individualidades e cada ser humano do planeta é uma criatura única e diferente entre si. A ciência do ADN assim diz. E fora as quimeras de alguns gêmeos que tem o mesmo ADN, somos todos distintos. A ciência diz. As forças policiais dizem. Os Governos dizem. Todos dizem.

Mas quem fez a pesquisa de campo que sustenta esta verdade? Eu sou meio ingênuo, mas sempre acho que uma verdade divulgada aos quatro ventos, defendida e tido como absoluta deve estar baseada em algum estudo sério. Sei la, Acho eu. Neste caso devem ter feito uma análise de camadas da população e a partir daí criou-se uma estatística que da razão a tal afirmação da individualidade. A mesma estatística que disse que o Flu seria rebaixado. As estatísticas são ótimas até serem contraditas e ai é uma merda. Passam a ser o que sempre foram. Mentiras sutis e bem vestidas.

Eu quero saber quem pesquisou e colheu o ADN de TODA a população para afirmar que somos todos seres diferentes. O meu não colheram e que eu saiba nem do Caspasio, o açougueiro da esquina que tem pavor de injeção. Tem um outro conhecido amigo meu que é uma excelente pessoa, mas mais burro que uma porta. Desse também não colheram porque eu acho que nem ADN ele tem.

E quem me diz que não há, nesse universo de mais de 7 bilhões de seres humanos, um, dois ou até alguns milhares iguaiszinhos a mim perambulando pelo mundo? Na verdade procuramos sempre pela nossa alma gêmea e às vezes nos enganamos e achamos e assim casamos. Até o próximo divorcio. Mas o que verdadeiramente ansiamos é pela desigualdade. A desigualdade nos fascina e nos perturba.

O ser humano tem uma breve existência neste Universo e particularmente neste planeta. Isso se levarmos em consideração a vida estimada do planeta e do Universo. Seja la qual for a realidade desta idade a conclusão é que a nossa existência é mínima. Mas isso depende da perspectiva, é claro. Pra nós, anos é muito tempo quando vemos o futuro e nos parece pouco quando relembramos o passado. Nesta nossa existência no planeta ouvimos estórias e lemos sobre a história e passamos a acreditar em certos relatos por diversos motivos. Alguns deles são religiosos e alguns são científicos e vários são por simples constatação de experiências vividas. As nossas experiências tem um enorme peso nas nossas crendices. Mas nada disso e me refiro as nossas crendices tem uma relação com a realidade. E por um simples motivo. A realidade existe apesar da nossa crença. Independe da nossa crença. Eu posso não acreditar no sol mas ele existe apesar disso. Eu posso acreditar em Deus ou não e na verdade não há nada que prove a sua existência ou a sua não existência. Depende da nossa fé. Ele pode existir ou não apesar de nossa crença ou de nossa falta de fé.

O que é fundamental é basear a nossa crença em uma profunda honestidade intelectual. Não importa o que acreditamos. Qualquer crença faz parte da nossa vida e a nossa vida gira em torno desta nossa crença. Mas temos que saber diferenciar o que nos sugerem, o que tentam nos vender, os que tentam nos influenciar através de diversas técnicas de marketing e o que realmente acreditamos. Eu chamo esta crença honesta, a crença da alma. Ela é fundamental e como toda crença pode as vezes não ter uma relação direta com a realidade. È evidente que não estamos falando de casos esquizofrênicos, já suficientemente explicados e analisados pelo Freud. Mas mesmo nesses casos, digamos nos casos light,e convenhamos somos todos esquizofrênicos light, a nossa percepção da realidade é nossa e faz parte da nossa existência e da nossa ação entre os seres humanos com quem convivemos e desde que não seja nada agressivo e destrutivo, não há problema.

Todas as nossas certezas são fruto da nossa observação empírica. As nossas crenças honestas são legítimas. Nada de errado nisso. Há pessoas e bem sabemos disso que nos vendem realidades que eles mesmos não acreditam e por esperteza ou por marketing, uma palavra moderna que quer dizer engano, empurram dogmas e conceitos por interesse.

E há pessoas que acreditam honestamente em suas teses e nem por isso são pessoas más ou menos inteligentes. O grande Aristóteles acreditava no geocrentrismo e somente séculos depois, Copérnico provou o heliocentrismo. Eram dois grandes pensadores. Newton obervando a maçã estabeleceu os princípios da física moderna e a teoria da gravidade. Einstein disse que não era bem assim e anos depois provou o que dissera. Ele mesmo não levava muita fé na física quântica e se arrependeu no final da vida.

Os próprios cientistas quando descobrem coisas fantásticas sabem e afirmam que estão apenas constatando coisas que estão ai desde o começar dos tempos. E dizem que não sabem nada. Ainda há muito a ser descoberto. A própria velocidade da luz, uma barreira da física moderna é um conceito que pode ser desmentido pelas observações de físicos recentes.

A teoria mais aceita sobre a existência do Universo é a do big bang mas há físicos de renome e um deles meu bom amigo que defendem o universo entrópico. São teorias que ainda dependem de comprovação pragmática.

O que constatamos é que vivemos em um enorme caldo de desconhecimento.

E vivemos no entanto com certezas que facilitam a nossa vida. Temos necessidades de ter certezas. As certezas são uma demanda da nossa psique e da nossa alma. Construir estas certezas requer apenas e tão somente honestidade. O resto não importa.

Como já disse, a realidade é totalmente desconhecida por nós e independe de nossa crença.

Mas se alguém achar algum ser por ai igualzinho a mim e se for um milionário e se o encontrarem, por favor digam que eu estou aqui. Melhor não. Dinheiro só atrapalha quando não se tem e quando temos, o pouco que temos aparece algum Madof da vida e nos promete mais dinheiro do que precisamos. E claro, não cumpre.

Há também uma outra hipótese. Pode ser que o meu semelhante seja um perigoso terrorista. Nesse caso divulguem, urgentemente, que a quimera humana é possível e eu nada fiz de errado. Ta bom, prometi amar pra toda a vida as minhas namoradas mas elas também prometeram.  A estatística estava certa. Somos todos diferentes.

Não tenho nada a ver com esse cara.

Pra que fui levantar a polemica? Além do Patriot Act Americano, que diz que vc é culpado até prova em contrário e mesmo assim, em se provando sua inocência, coisa que não existe para os Americanos, vc vai ser preso, fuzilado e depois processado, exatamente nessa ordem, os caras se reúnem e decidem te matar, assim de simples. Fizeram isso com um cidadão deles, imagina com nós pobres coitado?

Esses americanos são muito neuróticos. Não há maiores problemas em ser neurótico. Conheço alguns neuróticos até, mas nenhum com a bomba atômica. Perigosos esses caras.

Vamos esquecer isso. Estava eu falando das morenas e das mulatas. Sim, isso mesmo. Era isso que eu falava…

 

Anúncios
Posted in: MISTERIOS