A Europa do Neymar é aqui

Posted on 11/04/2012

0


Essa polemica sobre a ida ou não do Neymar a Europa beira o ridículo. Por uma razão simples. Ele não quer ir. E nem o Santos quer.

O Resto é dsicutir sexo dos anjos e a estória acabaria ai se lógica houvesse no futebol.

Mas não, a polêmica inventada continua. E depois do Mano, do Ronaldo e tantos outros, vem agora o Cafu defender que o Neymar deveria ir a Europa e deveria ir agora pra estar pronto na copa de 2014 e usa indiretamente o seu próprio exemplo de morador da Europa por longos 11 anos.

Nunca ninguém defendeu a ida de nenhum técnico mala ir ganhar experiência na Europa. Técnico brasileiro vai aos emirados ou a Ásia onde se ganha experiência em ganhar dólares. O único que foi foi o Luxemburgo que foi ao Real Madrid e foi um desastre. Parece que os ternos dele eram démodé em relação ao que se usava por la.

O Cafu jogava na defesa, coisa que Europeu adora e era um cavalo premiado. Não tinha como não fazer sucesso na Europa. Se corresse nos Hipódromos ganhava todos os grandes Prêmios.

 

Um dos jogadores mais admirados e cultuados na Espanha é o Mauro Silva, um medíocre cabeça de área, não que o Cafu fosse medíocre mas não era um gênio. Muito acima dele esta o Carlos Alberto Torres que nunca jogou na Europa. E nem o Djalma Santos.

Os argumentos que ele usa é que a ida do Neymar a Europa o livraria dos vícios do futebol brasileiro e o deixaria mais experiente e mais adaptado, não sei a que. E nem ele sabe. E os vícios a que ele se refere devem ser aqueles que nos fizeram ganhar 5 copas, três das quais de forma brilhante, encantando a todos com os nossos mal falados vícios. E nesses times, das três copas, não tinha nenhum jogador com a experiência Europeia.

Os comentaristas que o entrevistaram diziam de sua longa experiência de sucesso no futebol da velha Europa e isso deveria contar como argumento solido de pensamento.

Ganhar experiência na Europa é o velho complexo de vira lata se manifestando.

Não é uma questão de um ser melhor que o outro. A questão é defender as tuas raízes, as tuas características e quando vc abre mão disso em nome de uma suposta e altamente discutível experiência, mascarada de colonialismo barato, vc perde a espontaneidade. E isso meu amigo é uma merda porque vc se torna um sujeito amorfo e igual a todos e o que conta, o que faz a diferença é essa diferença que é uma característica tua, inata.

Ortega Y Gasset já dizia que quando o mundo te critica pela forma tua de ser, cultiva essa forma de ser, porque isso é vc.

 

Alguns chegaram a comentar sobre o Pato que jogou bem 6 meses e depois começou a se machucar. Conheceu também a filha do Berlusconi mas não sei se isso foi um motivo para seu grande insucesso nos gramados Europeus. Fora foi um sucesso e ainda é vestido com seus belos ternos Armani e abraçado a loura. A experiência Europeia o fez se machucar a toda hora e o Cafu afirma que a preparação Europeia é ótima e o deixava com fôlego pra o ano inteiro. Isso não existe meu amigo e qualquer professor de educação física sabe disso. O que existe é vc dosar o esforço. O resto vai arrebentar. E ninguém sabe o que ele tem mas dizem que ele foi até os Estados Unidos. O que os Estados Unidos entendem de futebol é um mistério. Deve ter ido se consultar com o Mickey ou o Pateta que nunca tiveram nenhuma contusão de futebol, talvez pelo fato de nunca terem jogado, um mero detalhe. Porque não veio aqui onde temos uma excelente medicina esportiva? Ou porque não foi a Barcelona que tem o menor índice de problemas de contusões musculares de todos os times, segundo as estatísticas deles?

 

Uma das coisas que eu sempre defendi no futebol foi a característica do futebol brasileiro. Alegre, driblador, irresponsável e tremendamente criativo.

Dou apenas dois modestos exemplos de jogadores que nunca foram a Europa e assombraram o mundo.

Pelé e Garrincha. Somente os dois maiores gênios que o mundo do futebol produziu.

E assombraram o mundo ganhando tudo porque jogaram como jogadores brasileiros.

Não precisaram de nenhuma experiência Europeia.

Há outros exemplos. Muitos.

O Didi que foi pro Real Madrid e foi boicotado pelo Di Stefano simplesmente porque era um gênio.

O Rivelino que nunca foi a Europa. O Nilton Santos e tantos outros da geração de ouro do futebol brasileiro.

E engraçado há exemplos de diminuição de talento, se é que isso é possível. Digamos de diminuição de tesão e doce irresponsabilidade, duas das nossas maiores características. Somos assim, fazer o que.

O Robinho é ume exemplo disso. Um belo jogador e foi pra Europa e murchou. Ele até declarou que agora não faz mais pedaladas porque é mais responsável. Esquece ele que responsável é função de burocrata. Nunca de jogador de futebol. Jogar pressupõe irresponsabilidade.

O Ronaldinho Gaucho exagera e é irresponsável também fora e ai meu amigo vc não tem gás de ser irresponsável dentro do campo, que é o que conta.

As raízes de nosso futebol que sempre encantou o mundo e que não somente isso, ganhou e ganhou bem são valores muito caros e preciosos. São Importantes e não podem ser assim tão facilmente esquecidos e imbecilizados.

Ir pra Europa pra ganhar experiência? Ora porra, se experiência ganhasse jogo a Academia Brasileira de Letras seria imbatível.

O que ganha jogo é talento meu amigo. O que faz a diferença é o talento. Se vc colocar de uma lado um monte de gente responsável, experiente e talentosas e de outro um bando de malucos irresponsáveis, inexperientes e talentosos a lógica diz que o primeiro time deve ganhar.

Mas lógica não ganha jogo. Futebol é imponderável.

Agora eu garanto uma coisa. O mais bonito jogo vai ser o segundo time. E isso meu amigo, é fundamental na vida e como o jogo é imponderável pode ganhar do mesmo jeito de que o primeiro time. Só vai ser mais bonito.

Europa é o cacete

Neymar fica aqui no Brasil e aqui ela vai amadurecer e aprender tudo que ele precisa. Muito mais do na Europa.

Isso eu sei.

O resto é deslumbramento pour épater le bourgeois, como dizem os franceses.

 

Anúncios