O telefone celular

Posted on 07/05/2012

0


Cleofantas deixou de vender pepinos na feira e nada tem a ver com o seu ultimo altercado, diz ele. A morte suspeita da gorda patusca foi devido a uma indigestão e o fato dela ter sido encontrada amarrada e com a cabeça cortada não elimina a versão de suicídio da polícia. Cleofantas nunca foi muito esperto apesar de ter sido economista, ou talvez por isso mesmo.

Segundo o Cleofantas, que agora corta carnes em um açougue com volúpia e precisão, este ultimo emprego é mais prazeroso e lhe da uma melhor renda familiar, apesar dele não ter nenhuma família. As pessoas gostam mais de carne do que pepino. Deve ter alguma mensagem filosófica nisso.

Vou perguntar ao Agripino quando ele voltar do puteiro.

 

Mas dizia do Cleofantas. Eu suspeito que esta ultima atribuição foi escolhida porque o Cleofantas não conseguiu deixar de lado a sua estranha compulsão de assassino profissional e ultimamente eu acho, tem se dedicado fortemente ao seu hobby como ele prosaicamente o chama ela. Há muitos chatos a serem eliminados e a definição de chatos do Cleofantas não é muito sutil e tem se tornado bastante vulgar.

 

No seu atual emprego as suas constantes mão ensaguentadas não levantam suspeitas se bem que pensando bem vou começar a examinar mais de perto a carne que ando comprando das suas ensaguentadas mãos. Meu Deus do céu….

Eu sempre falei pra ele que adorava descobrir uma mulata e aprendi que descobrir segundo uma das interpretações da bíblia tem um significado de comer, mas comer não no sentido antropofágico. É no sentido carioca mesmo, o velho e bom sexo consentido. Acho que o Cleofantas interpretou este meu desejo de uma outra maneira, não sendo ele muito versado nas interpretações das sagradas escrituras. Não sei, estou eu aqui interpretando.

Vou passar um tempo como vegetariano, por via das dúvidas e me tornar padre ou casto, tanto faz. Melhor não. Não tenho nenhum interesse por garotos imberbes.

Ou talvez mude de açougue.

 

Eu tenho uma grande habilidade para entender e manusear qualquer equipamento eletrônico, desde os mais modernos até aqueles ultrapassados, como por exemplo, o fax.

E isso porque leio uma coisa que ninguém lê e nem sabe que existe. Ou sabe que existe mas nunca viu, que nem o papai Noel,  o salário em dia, o prêmio da megasena ou um entrevistador do Ibope.

Me refiro ao manual de instruções que é escrito em sânscrito arcaico. Ninguém entende aquela porra e deve ser por isso que ninguém lê. Mas eu aprendi desde pequeno, sânscrito arcaico e me comunico bem nessa estranha língua. Além dos manuais de instrução descobri que ela é utilizada nos escritos do Sarney, do FHC e dos editoriais dos jornais. E aqui acontece o mesmo que nos manuais de instrução. Ninguém entende merda nenhuma, não que isso seja fundamental.

 

Um desses aparelhos modernos que hoje são essências a nossa existência, uma espécie de alma eletrônica, atende pelo estranho nome de telefone celular. Não sei porque o nome celular. Será porque tem células? Mas o nosso corpo também tem células. Ou não? Tenho que ler o manual de instrução sobre a composição morfológica do ser humano. O problema é achar algum. A última versão de manual de instrução do ser humano, atendia pelo nome de bíblia.

Originalmente o telefone celular foi desenvolvido para as pessoas se comunicarem em transito. Muitos confundiram e passaram a se comunicar no transito e isso causou algumas batidas e atropelamentos já que é sabido, desde o presidente americano Gerald Ford, que tropeçava na sua sombra de forma estabanada, que é impossível mascar chiclete e andar ao mesmo tempo. O que dirá falar no tal telefone celular e ajeitar o espelho retrovisor ou procurar uma estação no radio que toque alguma musica audível já que dirigir essa geringonça que chamam de carro é a ultima coisa que fazemos ao entrar nesse meio de locomoção.

 

Hoje os aparelhos de telefone celular fazem muito mais coisas e há aparelhos de ultima geração com tantas atribuições que se esquecerem de colocar o atributo da comunicação. Ou seja, não servem mais para falar em transito. Não que isso atrapalhe a vida de seus usuários. Eles nem notam. Vc pode ver que em qualquer reunião, em qualquer foto de gente junta sempre terá varias pessoas olhando pra seu aparelho e checando sabe-se la o que. Ou o nosso papo se tornou muito chato de fazer lagartixa mudar de parede ou o mundo esta acabando e só eles são informados.

 

Antigamente em uma reunião de família ou de amigos, ficávamos todos em volta de uma lareira ou olhando as estrelas, em silencio total. Hoje a lareira é virtual, não sabemos o que diabos são as estrelas e continuamos em total silencio. Mas hoje em vez de jogar pedrinhas na superfície de uma lago e ver elas quicarem varias vezes, ou tricotar algum pulôver que certamente será ridículo de se usar ou prosaicamente pegar a mão da namorada, teclamos furiosamente esses aparelhos de telefone celular. E sempre com os polegares que se tornou o principal órgão do ser humano e o maior também. Alguns antigos devassos e conquistadores canalhas dirão que nem tanto mas esses vivem de propaganda enganosa.

Não é a toa que o polegar é o mais importante dedo dos hominídeos, seja la o que isso quer dizer e foi o polegar que nos transformou de macacos peludos e felizes em hominídeos chatos com telefone celular.

Antigamente o polegar servia como juiz de vida e morte e hoje ele serve para apertar o botão da grande bomba que nos mandará todos pra cucuia, seja la onde diabos isso seja.

 

Alguém já imaginou o que aconteceria se um mega vírus eletrônico infectar absolutamente todos os aparelhos eletrônicos do mundo? Já imaginou se todos eles dessem pau? Tudo hoje é controlado por algum computador e tem muitas pessoas que sabem mais de bites e bytes do que os nomes de seus filhos.

 

Ficaríamos imóveis e perplexos sem saber o que fazer.

Talvez a gente volte a fazer o que há muito tempo, muitos esqueceram.

Sexo.

Conversar também serve.

Anúncios