Tomás, o crítico

Posted on 22/05/2012

0


Tomás é o ranzinza por excelência da turma. É um critico feroz de tudo e de todos. Lê sofregamente todos os jornais do dia e todas as crônicas e vocifera contra a burrice endêmica que o cerca. Lê tudo, desde bula de remédio até o último Harry Potter, passando pelo Mircea Eliade, o Kolakowsky e a suave poesia do Neruda.

Tomás tinha sido um acadêmico brilhante sabe-se la do que. Dizem que participou das passeatas junto do Daniel Conh-Bendit, o mítico ativista incendiário daqueles anos dourados do movimento estudantil. Dani le rouge, como o chamavam. Le con rouge como Tomás hoje o chama.

Tomas era um idealista mas se tornou acido e reacionário. A estória de como ele se transformou é algo obscura. Uns dizem que foi pelas leituras de autores obscuros e herméticos. Tão herméticos que lhe era difícil abrir os pesados e secretos livros cheios de cadeados colocados na lista do Index Liborum Prohibitorum et Expurgatorum e quando os abria, lia com sofreguidão os mistérios, dramas e soturnas revelações, por noites e dias sem se alimentar ou beber nada. Vagava pelas ruas falando sozinho e batendo em velhos que passeavam seus cachorros sem nenhum motivo outro que a merda que estas bestas espalhavam pelas calçadas. Os cães também espalhavam merda e também lhes desferia sonoros pontapés. Acabava os dias diante de alguma Igreja, vociferando:

– Perche, perche?????

 

Não se sabe se perguntava o porque da proibição ou o porque da inclusão de tantas mediocridades que induziam a leitura fútil do proibido.

Outros dizem que o seu desencanto foi obra de um amor não correspondido, uma morena suave de olhos verdes e lábios carnudos que o abandonou no altar, ou na cama, não sei, em pleno inverno. O fato de ser inverno não tem nada a ver mas há que se situar os dramas em alguma estação, assim dizem. Se bem que no rio de estação só tem o verão e estação da Leopoldina e da Central do Brasil.

Andou sumido uns tempos e parece que foi se imolar em algum templo budista em alguma montanha perdida do Nepal e não tendo conseguido, já que nas alturas o fogo tem dificuldade em se espalhar, voltou e um dia se apaixonou por uma outra suave morena de olhos verdes e lábios carnudos e foi plenamente correspondido, evitando o altar que cautela e caldo de galinha nunca é demais e foi direto pra cama se enrolar na nudez de sua amada e assim fez as pazes com o mundo mas não com os burros.

– Há burros que parecem inteligentes mas são burros e há burros que parecem burros e são burros mesmo. A burrice endêmica é a maior praga do universo e aportaram neste planeta há muitos séculos. Os monges tibetanos me contaram e dizem que se multiplicam mais rápido que coelhos tarados. Assim que os monges tibetanos descobrirem a formula de extingui-los, eles irão me avisar. Por enquanto a única arma de combate contra estas bêtes de somme é vociferar e apontar na rua de forma escandalosa.

– Olha la o burro….

 

Dizem que ele no fundo ainda é idealista, só que hoje ele se tornou mais critico e exigente. A sua missão, diz ele, é desmascarar os burros que nos assolam que são cada vez mais adorados e mistificados. É por isso que odeia cinismo e burrice, dois ativos que andam de mãos dadas como velhos e caquéticos namorados espúrios, segundo suas palavras. Os Romeu e Julieta da escrotidão máxima, uma outra definição do Tomás.

– Esse Jabor é um merda. É o nosso Rip van Winkle. Passou décadas dormindo e acordou agora sem saber merda nenhuma do que acontece a sua volta. E seu cérebro ainda esta dormindo isso na eventualidade que tenha cérebro, algo altamente duvidoso. Acho que ele usa cuecas apertadas e isso causa uma pressão enorme nos bagos e a consequência são as merdas que pensa. E por pensar estou sendo generoso já que esse merda nem sabe o que pensar significa. E agora vem seu discípulo mais merda ainda, se isso é possível, o Motta, que acha que pensa e escreve bobagens por metro quadrado sem nenhum sentido outro que a estupidez.

– Toma alguma coisa Tomás….um leitinho que ajuda sua acidez…

– Acidez é o caralho. Nem toda a produção da Holanda, aquele pais de merda vacuno, resolveria a minha acidez. Aqueles babacas estão abaixo do nível do mar e se dizem um país. São uns candidato a Atlântida, isso sim. Holanda e Bélgica que consegue ser mais chato ainda. A Bélgica é tão chata que não se decide que merda de cerveja devem servir e tem um zilhão de marcas. E tão chato que nem governo tem e nem notam.

– Mas a cerveja deles é boa…

– Boa o caralho. Boa é a minha mulher que eu como e não pago.

– E ela não reclama?

– Pago com paixão, seu bosta em lata, uma coisa que tu nem imagina que exista. Esse babaca do Mota acha que o Zé Dirceu é o supra sumo rei do mensalão. Ele nem sabe que merda quer dizer isso e ninguém sabe. Como se sobras de campanha fosse uma invenção recente. Ora porra….

– Mas não houve roubo?

– Nem eu, nem tu e nem ninguém sabe ao certo o que merda aconteceu. Mas o que aconteceu, acontece sempre.

– Nem por isso deixa de ser injusto.

– Quem decide se houve ou não, é a justiça, ohh débil mental croata. Antes disso é adivinhação de pitonisas de merda.

– Calma, Tomás…Toma uma cerva. Não é belga não…

– E como é que tu sabe? Tuas papilas degustativas já foram pro caralho há muito tempo.

– Olha os processos…..Vão acabar te processando por calunia e difamação…

– Ué? Só por falar a verdade? Que porra de liberdade é essa?

– A liberdade é relativa. A calúnia ainda existe…

– Não, não existe mais. Ta la. O congresso vai aprovar uma lei que permite a critica livre dos meios de comunicação e livra toda a cambada da mídia de processo. Agora pode tudo…ta la….

– Como?

– Ta la meu chapa. Agora os caras podem falar e escrever a vontade que ninguém pode falar nada. Dizem que essa merda é liberdade de expressão.

– Mas a liberdade da imprensa é importante…

– Importante o caralho.  A liberdade minha e a tua e do babaca do Mané ai da esquina…Essas são as liberdades importantes. Jornalista tem mais é que ser responsável e tem que estar sujeito a contra prova….ao escárnio de suas opiniões de merda…Ora porra, eles tem o poder.

– Calma Tomás…assim tu tem um piripaco…

– E vem os americanos de merda dizer que um ataque ao Irã não esta descartado. É a primeira vez que vejo política preventiva na base da porrada. Ou é política ou é porrada.

– Mas o Irã é um perigo…Eles estão fabricando a bomba atômica…

– Ohh débil mental tibetano, quem tem a bomba é que é perigoso. E quem tem todos sabem.

– Sim, mas o Irã é meio radical. Eles podem jogar a bomba encima de nós.

– Oh imbecil siberiano. Claro que podem mas tu acha que se consegue alguma coisa mandando os caras a merda? Conversa, porra e não se cansa de conversar. Puxa o saco, faz o caralho, mas conversa e acerta os ponteiros. A perda da paciência já sabemos como acaba. Quem já jogou foram eles, os americanos. E jogaram encima de populações civis. Desses caras se espera tudo. E continuam jogando…

– Como continuam jogando?

– Bombas…continuam jogando bombas pra caralho no mundo todo…Não tem paciência.

– Mas por aqui não tem nada…

– Já tão inventando que por aqui tem fundamentalista muçulmanos. Saiu no NYT. È informação coletada pelos americanos. Se prepara que ai vem merda. A desculpa ta armada.

– Isso é pra desviar a atenção da crise na Europa.

– É duro ter que ler, como li hoje nos jornais daqui, que a causa da crise na Europa foram as políticas sociais irresponsáveis, segundo eles e que agora ter que ser austero. Quer dizer, vender merda e cobrar ouro que foi o que os bancos fizeram, não tem importância. Foram os planos assistencialistas os responsáveis e isso tem que acabar, segundo estes merdas. Pobre já não tem direito a nada e nem pode ter. Pobre tem que se fuder. Beleza de humanismo. É claro, eles defendem o crescimento com austeridade. É a nova fórmula. Acham que crescer é na base de bio Tonico Fontoura. Crescer meu chapa, significa inserir as pessoas no processo, coisa que o Lula fez e aquele débil mental do FHC não fez. E a Europa e os Estados Unidos tem uma porrada de gente que não estão inseridos no contexto. E eles não entendem isso. O paradigma neo liberal é austeridade e depois crescimento e o paradigma do Lula foi de inserir gente que nada tinha em todo o processo e isso causa um mercado consumidor que causa um aumento de produção que causa um bem estar geral em todo mundo. Aonde esta a complicação disso? Me diz uma coisa. Porque merda a Grécia ta com problemas? Que eu saiba, aquelas ruínas que aparecem nos folhetos estão la há muito tempo. Não é de agora. Quer dizer, ruína elas já estão acostumados. Manda tudo a merda e começa a trabalhar. A investir na produção. Em cuidar das pessoas que perderam tudo. Reativa a economia com investimento. Investimento deles. Não precisa pedir grana emprestada a ninguém. Pra que? Sai do Euro e gera moeda. E moeda lastreada nas riquezas e no povo deles. E começa a trabalhar pensando no bem estar de todos. Que se foda o Euro. Isso é o maior engana bobo que existe. Se os Inglês entraram na comunidade mas não no Euro alguma merda é. E que se foda o FMI, o Banco Mundial e todos os investidores que querem ganhar com a desgraça alheia.

– Mas o Euro não é bom?

– Oh imbecil multifacetico. A moeda sempre foi um instrumento de economia clássica. Com moeda, vc pode emitir, pode aumentar ou diminuir juros e com isso tem o controle econômico das contas. E isso quem decide é cada país que sabe onde os seus bagos apertam. Agora se tu não tem mais a moeda, se outrem são os que decidem taxas de juro, emissão, qual a arma que te sobra? Um pepino no cu.

– Tu é muito radical Tomás…

– Radical é o caralho. Radical são as merdas dos jornais me venderem mentiras e babaquices e eu não posso falar nada? Custa falar a verdade ou pelo menos, custa ser inteligente? Se quer me enrabar, me enraba com classe. Não seja chulo e burro.

– Pra que tu lê então?

– E eu vou fazer o que, seu merda dos everglades? Eu leio, ponto. Desde pequeno e é um habito antigo impossível de resistir. O NYT também mente, mas tem classe. É inteligente. Te permite entender nas entrelinhas. Claro que eles defendem suas posições escrotas. Mas caralho, te informam.

– Tem que jokar bomba…

– Escuta aqui seu boiola nazista, tu é só anarquista porque acha que com isso vai comer mais cus…anarquista é o caralho…Bakunin era um bosta que achava que tinha a solução para o mundo quando na verdade ele era um masoquista de merda..E o Prudhon era francês o que em si já é um adjetivo pejorativo suficiente….

– Aghhhh… Kraus estar canzada….tem que jogar bomba e tomás no cu….ahahahahahahaha….eza ser boa…..

– E eu tenho que me sujeitar a esses trocadilhos imbecis e desprovidos de qualquer inventividade…. Também de um cérebro putrefato desses não se espera nada. Vou pra casa…

– Peraí Tomás, bebe uma com gente ….

– Vou pra casa ler o ultimo livro do FHC. Desse jeito tenho um AVC e me curo da mediocridade geral do mundo. Ou então leio uma poesia do Marcos Ana e me apaixono de novo pelo mundo.

 

E ficamos todos vendo o Tomás se afastar, andando, vociferando e gesticulando contra todos.

Acho que também seriamos todos assim mal humorados se lesemos como ele lê, todos os jornais do dia.

Melhor bater papo com os porteiros dos prédios e das boates que estes sim sabem de tudo que acontece a nossa volta.

Que merda interessa o que acontece la na Grécia ou o que o Jabor pensa?

Anúncios
Posted in: ASSIM É A VIDA